Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, May 30, 2012

Nunca mais me apaixono!!!‏

                                                                                                    

Rumor has it que um dos meus perfumes de eleição está a sair do mercado. As empregadas de duas cadeias de perfumaria diferentes confirmaram-mo: ao que parece, os negócios de messer Roberto Cavalli não estão a correr pelo melhor e ele vai desistir de todos os aromas que lançou, com excepção do último, que creio, tem o criativo nome "Roberto Cavalli" um frasco e uma publicidade com símbolos de dólar ou euro a voar (muito discreto) e não se compara ao maravilhoso Serpentine.
 Sou sincera: nunca me importei com as roupas de Roberto Cavalli; muito menos com os seus vestidos ultra reveladores, coleantes, cheios de tigresse  e brilhantes . Demasiado bling bling para o meu gosto mais understated. Mas havia duas coisas que me fascinavam nele: a imagem das serpentes e o perfume a condizer, Serpentine.
 Geralmente prefiro os clássicos de Yves Saint Laurent (Opium, Rive Gauche) Chanel, Hermès (que também só me tem dado desgostos ao descontinuar perfumes sucessivamente) ou Van Cleef, mas preciso de ter sempre um aroma que seja fresco e descomplicado e outro frutado e sensual. Não atrevido, mas escorregadio, misterioso, privado, tentador, arriscado e perigoso. Como as serpentes. Como as mulheres sicilianas. E para isso, nada como os italianos. Serpentine cheirava a flor de laranjeira, a jasmim, a rosas, a tangerina, a pomares da Toscana, a rendez vous diurnos num palazzo da Florença renascentista. Era subtilmente provocador e conseguia fazer isso sendo um perfume alegre, que dispunha bem. Mais do que tudo, combinava comigo. Em termos de mensagem, de notas, de aroma, de visual, era absolutamente perfeito. Foi amor à primeira vista e tornou-se quase uma segunda pele. Maledizione, o que é que eu faço agora? Claro que posso comprar as embalagens que encontrar e ficar com stock para uns tempos. Mas isso será prolongar a agonia, porque mais tarde ou mais cedo acabou-se. O melhor é recompor-me do golpe e começar a procurar outro italiano sexy, poderoso e subtil. Que se adapte às curvas, cabelos, detalhes e a todas as complexidades que compõem  l´dentificazione di una donna

É por situações destas que prefiro os aromas clássicos, seguros, que não nos atraiçoam nem desaparecem. O Roberto partiu-me o coração, foi o que foi. Sem um bilhetinho, uma explicação, um " foi bom enquanto durou", nem nada. Traidor.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...