Recomenda-se:

Netscope

Sunday, April 7, 2013

Nunca digas nunca: tecidos brilhantes

             Burberry Prorsum - Pasarela

Em moda nem a mulher de gostos mais clássicos, mais definidos, poderá dizer desta água não beberei. E confesso-me perante um perjúrio: sempre fugi dos tecidos irisados (organza, shantung) como o diabo da cruz. Por mais bonita que a fatiota seja, por mais qualidade que tenha, associo sempre esse efeito às toilettes para casório sintéticas estilo Modas Cilinha, noivas, baptizados e traje de cerimónia
 Em termos de brilhos gosto de brocado, eventualmente algum lamé, de aplicações ou quando muito, do metalizado, visto nos casacos de jacquard que anunciaram, no ano passado, o início desta tendência
abecedario con todas las tendencias de moda de primavera verano 2013: e de electricidad No entanto, por artes de compras aventureiras, vieram parar cá a casa três outfits que, apesar de feitos no tecido proibido, me chamaram a atenção. A saber, um tailleur  verde lima made in England com o decote de geisha que eu adoro, e que tanto vai estar na berra; um vestido preto que me seduziu pelo corte a pontos de eu fazer vista grossa ao material de que era feito (certas roupas são como as leis e as salsichas, é melhor não saber muito sobre elas) e uma saia Adolpho Dominguez, do lilás mais etéreo que pode haver. Lá ficaram, sem que eu soubesse muito bem o que fazer com eles. Poderes de vidência: nesta temporada o brilho cintilante, feérico ou plástico, que resulta bem nos filmes mas na vida real parece algo baratuxo, o temido brilho vai estar por toda a parte, e não vai ser reservado a uso nocturno, parece-me. De Christian Dior, com as suas amplas saias  de cintilação quase eléctrica às saias e casacos  incandescentes de Jonathan Saunders, passando pela genial colecção Burberry Prorsum com   lamé, brilho plastificado ou cabedal pintado em tons metálicos, os efeitos nacarados ou simplesmente glossy prometem invadir as ruas. Cabe a quem quiser arriscar apostar num styling simples e jovial, que desconstrua um pouco o ar "pesado" ou futurista associado a peças assim. Há que enfrentar todos os medos, mesmo os medos de moda.



Alberta Ferretti Burberry Prorsum Metallic coated-cotton shirt Burberry Prorsum Metallic textured-leather trench coat
                           Burberry Prorsum (esq); 

(dir) Alberta Ferreti, blazer em Shantung e saia de cabedal pintado, Joseph.
Alexander McQueen Tailored silk mikado jacketJonathan Saunders - PasarelaJonathan Saunders - Pasarela

                                                    Casaco Alexander McQueen; desfile de Jonathan Saunders








3 comments:

A Bomboca Mais Gostosa said...

Não posso dizer que adore esse estilo, mas tens aí umas coisitas giras!

Imperatriz Sissi said...

Se não tivesse cá em casa, não ia comprar nada disto, podes crer! Mas uma vez que calhou...ainda bem que há maneiras giras de usar ;)

Inês Maria Rocha Gonçalves Moura de Sousa said...

Pois, eu continuo muitooo reticente a estes tecidos brilhantes, metalizados and so one. Já os vi nos idos 90's e tal como agora, olhei para estes materiais com alguma desconfiança. Atenção falo para meu uso pessoal, porque há pessoas que os sabem vestir e ponto. Das peças aqui apresentadas os meus olhinhos ficaram presos ao casaco Alexander Mc Queen, e a este se calhar abria a minha primeira exceção porque me parece fácil de usar e de conjugar.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...