Recomenda-se:

Netscope

Sunday, November 10, 2013

A Ryanair tira a roupa às hospedeiras.


Sou-vos franca, não tenho muitas esquisitices mas companhias aéreas low cost são uma delas. Voar numa lata de sardinhas já é sacrifício que chegue - fazê-lo apertada, com pouquíssima bagagem e a aguentar o farnel alheio, só em caso de muita necessidade.
 Depois, dada a realidade do país conheço pessoas que já concorreram a empregos na Ryanair, e...de facto tudo é barato naquela empresa, desde os ordenados que nem chegam para mandar cantar um cego até à formação que sai do bolso dos candidatos. Não tenho nada contra uma boa pechincha, mas tudo o que me cheira a sovinice ultrapassa o razoável. E tudo o que me soe pouco ético tira-me do sério. Tirar couro e cabelo aos funcionários é decerto faltinha de ética. E o cúmulo da faltinha de ética será tirar a roupa do corpo às funcionárias, que é exactamente o que a Ryanair tem feito.
 Lançar um calendário com os empregado(a)s mais bonito (s) para angariar fundos para caridade ou o que seja não é novidade (vide os Bombeiros ou os Dieux du Stade) nem nada do outro mundo, mas limitar o acto às mulheres e fazê-lo com tanta vulgaridade pisa uma certa linha - a linha que separa uma ideia inofensiva de uma parada de revista para adultos.
 O calendário em causa só me chamou a atenção por haver uma portuguesa nestes preparos:

                         


Diz que escolheram a menina entre 400 colegas. Não faço ideia se a menina Inês ficou entusiasmada ou sofreu algum tipo de pressão para aparecer assim, mas não havia poses um bocadinho mais elegantes que as "modelos" pudessem adoptar? E um photoshopzito, um produtor de moda qualificado que não desse à iniciativa um ar tão...baratuxo? 
  Deve ter sido feito com a prata da casa, afinal é uma companhia low cost. A dignidade cabe em toda a parte, até nos calendários.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...