Recomenda-se:

Netscope

Monday, March 31, 2014

Diz que a moda agora é ser feia (ou antes, preguiçosa).



Joan Rivers, a comentadora espalha brasas de Fashion Police, é outra que se recusa a alinhar com os modismos e as conveniências, o que é assaz refrescante num mundo que anda pejado de Dantas. Para quem não se lembra do Dantas, é só ir aqui reler o fabuloso Manifesto de Almada Negreiros, outro senhor que se arrepiava todo com o politicamente correcto e com as pessoas que, na ânsia de parecer bem, não têm escrúpulos "NEM MORAIS, NEM ARTÍSTICOS, NEM HUMANOS" e andam "CO'AS MODAS, CO'AS POLÍTICAS E CO'AS OPINIÕES".

Goste-se ou não dela, a senhora (não estou certa se Ms. Rivers é realmente uma Senhora, mas há que respeitar os mais velhos) atirou uma pedrada para o charco. Enquanto meio mundo dá graxa a  Lena Dunham só porque ela se acha muito espertinha, muito espirituosa, muito estou-me marimbando para o meu aspecto porque sou demasiado intelectual e feminista mas todos têm de me achar linda   apesar deste meu ar de pudim senão são uns chauvinistas  ao mesmo tempo que aparece na Vogue retocadíssima e toda contente, Joan Rivers soube ser inconveniente q.b...e brutalmente honesta. A idade é um posto, nada a fazer.

 Quando questionada sobre o estilo pouco polido da menina, Ms. Rivers foi peremptória ao apontar a sua falta de noção das proporções. "Como é que ela pode usar vestidos acima do joelho?". 

 Claro que o entrevistador respondeu com a estória fanada "mas ela é a rapariga que tem sucesso porque se está nas tintas para isso. Ela não quer saber" - ao que a apresentadora retorquiu com uma verdade absoluta: "TODAS as mulheres querem saber." Deixo o original, porque na tradução perde-se um bocadinho a veemência:

“How could she wear dresses above the knee?” Stern countered by saying that the thing her audience loves about her is that she doesn’t give a shit, to which Rivers replied, “Oh, every woman gives a shit.”

Claro que não podiam deixar de seguir-se reacções na linha do post de ontem: body shaming, fat shaming, "essa mulher é uma múmia malvada, etc".

Pondo de parte que não é bonito censurar quem critica o aspecto alheio fazendo exactamente o mesmo  (ou seja, chamando múmia a uma senhora com idade para ser avó) ainda estou para conhecer uma mulher que diga que não se rala, que o que conta é a beleza interior e a inteligência e que as rugas e as estrias são lindas porque encerram memórias de dores, lágrimas e sorrisos e sou balofa mas sou feliz e  bonito é aquele que vê beleza nos outros mimimi e tal mas não se esteja a roer por dentro. É o mesmo que dizer que o dinheiro não dá felicidade - não dá, claro que não, mas enfeita e facilita, e com a formosura é o mesmo, enganem-me que eu gosto. Mais vale ser franca, como aquela personagem do Joaquim Monchique que dizia "eu odeio gente mais bonita do que eu". 

Não foi lá muito delicada? Claro que não. Mas é o seu estilo e não deixa de ser estranho que alguém cujo emprego passa por criticar o aspecto de toda e qualquer celebridade sem que ninguém diga nada, seja atacada no momento em que toca no "ai Jesus" do momento, só porque é mais fácil as pessoas preguiçosas identificarem-se com Lena Dunham.

Perante a insistência do interlocutor, que jurava aos pés juntos que Girls era a coisa mais engraçada de sempre, Joan manteve-se na sua: Don’t say it’s OK that other girls can look like this. Try to look better!”

 E eu não podia concordar mais: sem cair no exagero, todos devem procurar dar a melhor imagem de si próprios...e ser mais exigentes consigo mesmos do que são com os outros. Afinal, os "outros" passam e andam, mas todos temos de encarar a nossa pessoa ao espelho a cada dia.

Enfim, assim vai a Humanidade -  mas se os padrões andam tão por baixo  que o melhor a que as raparigas  se permitem aspirar é ser como Lena Dunham, Kim Kardashian ou a boneca Lammily...parem o mundo que eu quero descer.

6 comments:

A Bomboca Mais Gostosa said...

Concordo com tudo. A Lena pode achar-se o máximo, a maior da rua dela só porque não se arranja, e claro que é inteligência. Mas porra desde quando é que a inteligência e o cuidado pela aparência são opostos? Eu considero-me uma mulher inteligente e não é por isso que saio de casa despenteada. Ou mal vestida. E não é porque a sociedade me impõe isso, é simplesmente porque eu não gosto. Que a senhora Lena não tenha gosto, é uma coisa, outra é disfarçar essa falta de gosto e a preguiça com um movimento. Tudo bem que ela não se importe (mas no fundo no fundo todas nós nos importamos...). Tudo bem que ela aceite que não é nenhuma Gisele deste vida. Ok. Eu também não sou. Mas daí a dizer que o bonito é andar desarranjada, vai um grande passo.

barcelence said...

A Lena Dunham não é gorda por aí além. Uma mulher com peso normal e que não faça ginástica parece um pote na televisão e em fotos. A Joan Rivers costuma ser engraçada mas isto foi "comédia à força". Será que já falou assim da Queen Latifah, Beth Ditto ou outras celebridades gorduchas ( essas sim ). Não sou fã, mas, no que toca à Lena, foi exagero.

Sandra said...

hehehehe. Confesso que "odeio" essa moça e a série Girls é do pior que vi nos últimos tempos. BLHEC!

Imperatriz Sissi said...

Bomboca, spot on como sempre. Quando uma mulher não deve muito à beleza e/ou (o que é mais comum) não está para se ralar, a desculpa de que a sociedade impõe essa "ditadura" e que se está mais preocupada com a sua inteligência. Agora até há uma certa subcultura de mulheres que por feminismo não se depilam...ou seja, há toda uma panóplia de desculpas intelectualmente vistosas para a preguiça e a invejinha - até, no extremo, fazer disso um movimento, como dizes.
Até porque não querendo adivinhar a inteligência da Lena, a maioria das mulheres que conheço e que advogam tais ideias não são propriamente brilhantes. São as patetas que tiraram um curso, que se fazem muito sérias, que falam alto sobre o impressionismo ou Proust para inglês ver e na volta, partilham citações da Rebelo Pinto e do Chagas Freitas nas redes sociais, a ver se arranjam um diabo que as carregue.

Imperatriz Sissi said...

Eu não a acho gorda - balofa e não muito bem feita talvez, mas acima de tudo desleixada até mais não. A questão aqui é que tanto a Queen Latifah (que é lindíssima) como a Beth Ditto (essa sim, parece confortável na sua pele) se apresentam melhor para o peso que têm e geralmente bem arranjadas do que a Lena Dunham, além de não terem a mesma atitude panfletária e ressabiada. Simplesmente são como são e tiram partido disso, ao contrário de Ms Dunham que de facto faz gala de desfear e dar esse exemplo pouco bonito.
Tal como eu disse no texto, nem uma supermodelo fica perfeita com todos os comprimentos e modelos. Porque é que a Lena, com o peso que tem ou não tem, não usa as proporções certas? Não custa nada. Foi isso e não tanto o peso que a Joan Rivers apontou.

Imperatriz Sissi said...

Duas, Sandra, com a diferença que eu ainda não ganhei coragem para espreitar a série!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...