Recomenda-se:

Netscope

Saturday, November 1, 2014

Edward Mordrake, o "Príncipe" de duas caras


Começo a achar que American Horror Story me lê os pensamentos, ou que os produtores da série lêem o meu diário (o que seria ainda mais estranho porque não tenho um); o mais certo é eu ter muitos gostos em comuns com eles, deixemo-nos de coisas.
Depois de Coven e de trazerem David Bowie a um circo de aberrações - tema que me intriga desde pequena: sabiam que nos anos 60 ainda havia dessas coisas por cá? Sim, a minha família conta histórias dessas, havia realmente circos com o Homem mais Alto do Mundo, a Sereia e a Mulher Barbuda dentro de uma jaula - de quem é que se lembraram? 


De Edward Mordrake, personagem (pois não se sabe ao certo se existiu ou não) realmente fascinante. 

 Fascinante estilo filme de terror mas enfim, gostos são gostos e estamos em época disso.

  Supostamente, Edward Mordrake, que viveu em finais do sc. XIX, era um belo e gentil fidalgo, herdeiro de uma das melhores famílias de Inglaterra e de numerosos títulos. Riquíssimo, talentoso e muito inteligente - era um músico e estudioso dotado - o pobre Edward tinha um grave problema: uma segunda cabeça na nuca. 


O seu rosto normal era lindíssimo e de expressão grave, mas a "segunda face" era má como as cobras. Não falava nem comia mas fazia caretas, mexia os lábios com expressão malvada e segundo Edward, murmurava constantemente coisas infernais, especialmente à noite. O desafortunado rapaz tentou por todos os meios ver-se livre do seu "gémeo maligno" mas a Medicina da época nada pôde fazer por ele. Envenenou-se aos 23 anos, deixando por escrito um pedido para removerem a carantonha, não fosse ela continuar a torturá-lo no Além. 

 Em American Horror Story, Mordrake, interpretado por Wes Bentley, é uma elegante alma penada que percorre os circos de aberrações procurando companheiros para a sua trupe dantesca no Outro Mundo, servindo ao mesmo tempo de justiceiro, confessor e redentor.     Deram-lhe uma dimensão de herói Byroniano atormentado com o visual de um Dorian Gray, o que não podia ser mais interessante...embora os morenos misteriosos sejam sempre de desconfiar.


 Dito isto, Edward Mordrake, a ter existido, seria uma pessoa no mínimo complexa - ou não. É que bem vistas as coisas, o único problema dele era ter duas caras (uma delas cruel e viciosa)...à vista desarmada. Não faltam por aí cavalheiros semelhantes, com o mesmo problema, só que escondido. O pobre Edward, que até era bem intencionado, só não conseguia enganar ninguém...

Também nisto a série não deixa escapar a analogia: Dandy, a pior aberração de todas, é um jovem riquinho, betinho, lindinho, perfeitinho (outro moreno misterioso, estão a captar a lógica?) mas mimado, desaparafusado e capaz das maiores tropelias. 


 Por vezes os piores monstros estão escondidos lá dentro. Até podem dar sinal numa cara bonita, numa postura angelical, mas quase sempre é demasiado tarde. E isto de lados lunares quanto mais cedo se revelarem, melhor...





No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...