Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, November 25, 2014

Michael Kors dixit: nada para vestir (e 9 dicas para evitar essa doença).



Segundo o criador americano conhecido pela sua abordagem simples e luxuosa, a razão de muitas mulheres terem armários cheios de roupa e nada de jeito para vestir pela manhã não é nenhum mistério:

«70%  da sua roupa devia ser "carne e batatas", e 30% "guarnições e gulodices" - ou seja cores, padrões, brilhos e acessórios. Demasiadas mulheres invertem esta proporção e depois não percebem porque é que não se sabem vestir".

Não podia estar mais de acordo: já comentei por aqui que a falta de bons básicos é o mal de imensas mulheres, e em particular de muitas portuguesas.

 Conheço não poucas que gastam bastante em extras - como bijuteria ou mais uma camisola de malha brilhante - e têm pouquíssimos conjuntos de confiança, que sejam fáceis de usar e favoreçam a sua figura. Como evitar isto? A fórmula de Kors é clara: 70% de básicos de boa qualidade, 30% de "peças-tendência" e acessórios (colares, pulseiras, carteiras, lenços).

Também é útil lembrar que:

1- Se sair à rua sem roupa vai presa...mas ninguém a multará se andar sem colares ou pulseiras. Parece uma parvoíce, mas se tiver este mantra em mente quando vai às compras evitará dirigir-se aos expositores de bijuteria  antes de procurar e experimentar o vestido que lhe está realmente a fazer falta. Concentração é tudo!

2- Os acessórios são uma parte importante do guarda roupa, mas não tanto como algumas revistas da especialidade fazem crer. É impossível dar-lhes utilidade se não tiver roupa suficiente: e por roupa entenda-se peças que lhe sirvam na perfeição (as calças que comprou quando pesava menos quatro quilos não contam) com os devidos ajustes feitos (bainhas, botões no lugar, etc) e devidamente organizadas. É impossível vestir-se rápido se não faz a mínima ideia daquilo que tem (ou não) no closet e do que está ou não operacional.

3- É preferível ter menos "jóias", chapéus, lenços e carteiras, mas de boa qualidade: sempre que possível, opte por materiais nobres. Para evitar distracções, compre os acessórios à parte (pela internet, quando viaja para locais exóticos ou em lojas especializadas) e não por impulso. Não precisa de quatro statement necklaces do mesmo estilo que se vão partir num ápice.  Além disso, de nada vale ter muitos acessórios sem conhecer bem o estilo predominante (e no caso dos colares, o tipo de decote mais frequente) do seu guarda roupa. Isso só cria confusão.

  4- Nas écharpes e cachecóis, opte por uns quantos em tons básicos, quentes e frios (para darem com tudo) num tecido aceitável e quanto às carteiras...há 10 carteiras de que uma mulher realmente precisa. Se tiver todas estas de uma marca de confiança, em tons neutros e/ou nas cores que a favorecem, evitará perder a cabeça com mais uma clutch que estava em promoção...e que para lá fica a ganhar pó.

5- Comprar básicos pode não parecer tão divertido porque as peças essenciais não brilham, não são muito coloridas...mas é uma questão de hábito. Se se acostumar a distinguir umas calças bem cortadas e de bom tecido, "caçá-las" todas as estações para comprar mais um par porque está sempre a precisar delas torna-se uma emoção! Nada faz uma mulher sentir-se tão bonita como vestir o que realmente cai bem no seu corpo. Depois de ter os básicos de que precisa aí sim, pode divertir-se a criar coordenados diferentes mudando os acessórios.

6- É preferível ter um guarda roupa completo para todas as situações a uma superabundância de roupa e sapatos.

7- De novo, cuidado com os sapatos divertidos e baratinhos. Mais dicas aqui, aqui e aqui.

8-Mesmo nas peças-tendência (padrões e modelos passageiros) que devem ser um investimento menor, não compre nada que não vá na perfeição ao seu corpo e às suas cores. Ainda que tenha a silhueta de um Anjo da Victoria´s Secret, há certos comprimentos e cortes que não vão fazer nada por si -  e quanto mais cedo se aceitar essa ideia, mais fácil se torna. Por vezes é uma diferença de poucos centímetros, mas é a distância entre estar fabulosa ou estar sem graça. 
  Se as saias se usam mais curtas, descubra qual é a altura de bainha que lhe fica bem e não condescenda noutra, principalmente se o tecido é extravagante: vai odiar ver-se naquilo, por mais bonito que pareça na montra.  Se a cor ou padrão da moda a faz parecer mais larga ou macilenta do que é na realidade use-a numa carteira, mas não no corpo ou junto ao rosto.

9 - Num visual, pode haver uma peça central (o vestido, o casaco...) e um acessório que chame a atenção. Mais do que isso é arriscado, portanto...faça as contas aos "fru frus" de que realmente precisa, e invista antes no que de facto é uma necessidade. Focar-se na utilidades das coisas é uma boa receita para evitar compras disparatadas e "limpar" o visual. Less is more.






2 comments:

Sérgio S said...

Por falar nisso, a nossa amiga ainda não comentou o ultimo grunhido da moda, que anda aí em alta pelas redes sociais. O "lumbersexual" ou, em tradução livre, os "brutamontosexuais". Gira o disco e volta ao mesmo: afinal nada como um bom homem das cavernas.

Imperatriz Sissi said...

Ainda não me tinha lembrado dessa. Vou debruçar-me melhor sobre esse fenómeno do Entroncamento; parece-me que lhes podia dar para pior mas que é tudo um pouco artificial...

Obrigada por mais uma boa sugestão! Beijinho!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...