Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, December 10, 2014

4 presentes de Natal "mauzinhos" que resultam


Um dos aspectos mais complicados do Natal é a escolha dos presentes: há quem se divirta com o processo, há quem fique irritadiço só de pensar nessa canseira e quem varie entre o entusiasmo e a indecisão de ano para ano, para não falar dos pragmáticos de serviço que optam por oferecê-los só à crianças, poupando tempo e recursos (prático, mas um pouco sem graça).

 Embora eu não concorde com materialismos - que deitam a perder todo o significado da Quadra - acho importante escolher algumas lembranças que mostrem às pessoas que as apreciamos.

 Nesta altura do ano as revistas e sites multiplicam-se a fazer divertidas listas dos "presentes do piorio" que toda a gente quer evitar, mas por vezes eu discordo de algumas escolhas.

 Certas ofertas que integram a lista negra a não pôr no sapatinho podem sim dar bons presentes, se bem escolhidas; e por vezes "intenções menos altruístas" são a melhor pista para a escolha ideal, por estranho que pareça.  Outros presentes só precisam de um upgrade para passarem de embrulhos da treta a "deram-me isto no Natal e nunca mais o larguei".


1- Pijamas e outros presentes a que toda a gente torce o nariz...mas que se farta de usar depois


O pijama deve estar no topo da lista dos mais odiados, mas atrevo-me a discordar da maioria: pijamas, robes de chambre, roupões de turco, loungewear, pantufas e afins podem ser uma lembrança excelente. Primeiro, porque há pijamas e pijamas -  um que seja de seda, de aspecto luxuoso (de preferência forrada para o Inverno) dá sempre jeito.  Herdei da avó a mania de ter de reserva pijamas novos (dizia ela que convém, não vá uma pessoa dar-lhe um fanico, precisar de ir para o hospital e ter de vestir aqueles balandraus horrorosos). Para as crianças, um pijama com o seu herói preferido ou pantufas com a cara do boneco da moda não podem ser mal recebidos.

 Também é aconselhável todas as mulheres terem um robe oriental glamouroso e  quente - aparecer à cara metade embrulhada num roupão velho pela manhã, não dá. Segundo, porque roupa bonita para dormir e andar por casa é algo que toda a gente deve ter, mas quase sempre sente preguiça de comprar em quantidade - só se lembra quando precisa. Conjuntos elegantes para fazer desporto também são muito úteis. Uma caixa engraçada com um sortido de peças confortáveis é muito agradável de receber. O que não vale é comprar um pijama feiote à última da hora.


2- Artigos "de enxoval"


Quem nunca ficou de sorriso amarelo perante os atoalhados que tias, madrinhas e avós insistiam em oferecer de ano para ano, vem de uma família muito moderna. Mas como  muitos hábitos de outro tempo estão novamente na berra, é natural que alguém se lembre de oferecer coisas desse género (se a moda das "arcas de enxoval" começa a andar nos instagrams da vida deito fogo à minha, mas adiante). Porém, sejamos pragmáticos - atoalhados nunca são demais até porque se estragam e comprá-los em grande quantidade não é barato, por isso é sempre bom ter mais alguns -  desde que sejam brancos ou pretos para darem com tudo, sem bordadinhos nem rendinhas. Uma manta fofa para desabar no sofá ou uma elegante colcha antiga de seda ou veludo também não são presentes de desprezar. Se gosta de oferecer utilidades para a casa, fique-se pelo muito simples e prático ou pelo muito raro e luxuoso. Não há meio termo.


3 - Caixas de maquilhagem enormes, velas perfumadas...ou kits de banho esquisitos
Urban Decay

Esses são daqueles presentes bonitinhos que tem muita piada desembrulhar, mas que depois não servem para grande coisa. Oferecer maquilhagem depende muito de quem dá e de quem recebe. Se não percebe nada do assunto, não vá comprar a primeira paleta gigantesca que aparece nas ilhas da perfumaria ou do supermercado nesta altura do ano: muitas só têm aspecto mas as cores não resultam bem e das duas uma: se a destinatária for entendida na matéria não conseguirá fazer grande coisa com o produto (embora vá a correr experimentar, isso garanto) e acabará com mais um trambolho a ocupar  a sua já atravancada mesa de maquilhagem; caso a presenteada não se costume maquilhar, vai ficar desiludida e achar que pintar-se não é para ela.
  Ao comprar para uma makeup junkie, opte por um cheque presente de uma loja especializada ou por uma grande paleta de uma marca de confiança (Nars, Kiko, Sleek, Sephora, MAC, Bobbie Brown...). Se pretende iniciar uma amiga nas artes da maquilhagem um kit simples para começar, como a famosa Naked palette da Urban Decay, é capaz de ser mais razoável.
 O mesmo vale para velas perfumadas, sabonetes e sets de banho: nesta época há muita oferta de marcas estranhas com embalagens muito bonitas, mas o resultado raramente é especial; já casas como a Scottish Fine Soaps ou a portuguesa Ach Brito fazem coisas realmente luxuosas por um preço que não é exagerado. 


4 - Presentes com segundas intenções


Não me refiro a mandar um palhaço de mola realmente assustador ou uma caixa com pó de sumiço ao seu inimigo de estimação (embora possa ter a sua piada, a época é de paz e boa vontade).  Pensar estrategicamente e de forma um bocadinho egoísta pode ser a melhor maneira de desencantar o presente perfeito. Ora pense: se as suas amigas passam a vida a assaltar-lhe o closet para lhe pedir emprestadas clutches, sapatos de festa ou vestidos de noite, se calhar é boa ideia oferecer-lhes algumas destas coisas para estrear no ano novo. Isso também conta para o secador ou ferro de frisar profissional que passa mais tempo em casa da sua prima do que na sua - se lho pede tantas vezes é porque adoraria ter um, certo? Não é que você se importe de continuar a partilhar no futuro, mas ao menos já sabe o que lhes faz falta e aquilo que lhes fica bem, logo não há nada de mal em tirar partido dessa informação.
 Se a sua irmã mais nova se esquiva a passar a ferro - ou mesmo mandar passar - e anda sempre amarrotada apesar dos seus avisos, arranje-lhe um vaporizador de viagem. Não há nada tão rápido nem tão eficaz, e convém ensinar desde cedo que com roupa amassada não há look que fique elegante. Além disso, poderá levá-lo emprestado uma vez por outra, em modo "pede o guloso para o desejoso".
 Considere sempre as necessidades para lhes poder corresponder, mesmo que à primeira vista pareçam  mais suas que dos outros. Antes comprar algo que dá jeito a mais do que uma pessoa lá em casa do que gastar dinheiro numa bugiganga inútil...



1 comment:

Sónia TM said...

genial o post :)



tarasemanias.pt

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...